segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

É o chamado crescer à força

Hoje acordei e apercebi-me que estou sozinha pela primeira vez desde que as aulas terminaram. Confesso que fiquei a sentir-me mesmo só, sem ninguém em casa, a ter que estudar para os exames. Foi uma espécie de murro do estômago, toma lá que a realidade agora é esta. Isto de não ter nada com que ocupar o tempo, de não ter planos de saídas, é estranho. É a primeira vez em muitos anos que tal me acontece e estou um bocadinho apavorada com isto de ter que aprender a estar sozinha pela primeira vez. E custa. O que me vale é que, para o bem ou para o mal, tenho mil coisas para estudar e um montão de exames para me ocupar durante este mês e (espero que não!) o próximo. Até ter o meu tempo completamente livre de obrigações académicas, espero habituar-me a ter que contar apenas e só comigo mesma. Custa, tenho a certeza que vai doer, mas também acredito que o resultado acabará por ser positivo. Tenho que aprender a estar sozinha, a ocupar-me, a depender apenas de mim. Sou uma menina, sempre tive alguém ao meu lado a amparar-me as quedas e isso dá muito conforto, claro, mas também preciso de saber que me consigo levantar sozinha quando cair. Já estou bem em tempo de crescer! 

6 comentários:

  1. É mesmo isso que disseste... Crescer também é sabermos enfrentar, sozinhas, os obstáculos que nos vão aparecendo no caminho. Acredito que é uma aprendizagem muito grande !
    ***

    ResponderExcluir
  2. Boa sorte para os exames e coragem. :)

    ResponderExcluir
  3. Eu não gosto nada de ficar sozinha em tempo de exames. Entro sempre em depressão...

    ResponderExcluir
  4. Vai custar, certamente... mas vais sair mais forte. Força e boa sorte para os exames!

    ResponderExcluir
  5. são as chamadas «dores de crescimento»

    ResponderExcluir