terça-feira, 14 de janeiro de 2014

daqueles dramas típicos de adolescentes *


Este post vai parecer muito mesquinho e infantil, parece aqueles arrufos típicos de miúdas fúteis, mas eu preciso de contar isto, que já me está entalado desde o Natal. Ora então eu tenho uma prima com quem convivo quase diariamente porque somos praticamente vizinhas e porque as nossas mães e os nossos pais são irmãos (primas duas vezes, que ironia). Acontece que ela é 3 anos mais nova que eu e não suporta o facto de toda a gente gostar mais de mim do que dela, o que torna todas as atividades em familia num circo.

Eu não sei dizer isto sem parecer convencida, mas a verdade é que eu sempre fui a mais simpática, a mais elogiada, a mais gira, a mais magra (isto parece ser importante para ela), a preferida de todos. E ela viveu sempre à minha sombra, mesmo que não intencionalmente (enquanto criança eu nem pensava nisto), o que parece causar-lhe grande dor de cotovelo. Fomos criadas quase como irmãs; tudo o que eu tinha a minha tia comprava igual para ela, saíamos juntos em família, brincamos juntas até termos idade para perceber que não nos suportamos (vivemos num clima de paz podre).
Eu compreendo que ela me odeie um bocadinho, afinal de contas ela acredita mesmo que é melhor do que toda a gente e parece que eu sou uma ameaça à superioridade dela. Mas eu não tenho culpa de ser uma pessoa simpática e que as pessoas gostem de mim. Se calhar, se ela não tivesse um feitiozinho tão detestável e convivesse com as pessoas, as pessoas gostavam dela também, afinal de contas ela não é assim tão intragável (depende dos dias).

Ela faz de tudo para criticar e desvalorizar o que eu faço (até hoje ela é capaz de dizer que o meu curso é uma treta porque é só preciso decorar e vim de humanidades, o que pra ela é uma vergonha porque só ciências é que e fixe - palavras dela), mas depois também faz de tudo para ser igual a mim! Isto antes irritava-me, agora só me dá pena dela. Deve ser muito triste sentir que temos que competir com toda a gente, fazer de tudo para que as pessoas reparem em nós e não conseguirmos e depois vir alguém que nem se esforça para tal e consegue aquilo que tanto queremos. 
Eu já nem lhe ligo, apesar de - confesso- gostar de a espicaçar de vez em quando. Por mim ela podia ser a preferida, a melhor de todas, eu nem quero saber. Nunca reclamei esse titulo, nunca foi uma ambição. Mas confesso que adoro ser tudo isto, só porque lhe causa tanta inveja. I can be a bitch too.

Eu sei que isto é uma atitude um bocado mesquinha, mas vocês não imaginam a felicidade que é, por entre vários outros motivos, ser a primeira da família a entrar no ensino superior (na realidade, bastava-me acabar o secundário e já estaria à frente de todos os meus primos), a concluir uma licenciatura, a frequentar um mestrado. Ela é tão invejosa que até isso quer desvalorizar, quando na realidade tem é muita dor de cotovelo por, mais uma vez, estes títulos não lhe pertencerem. Nunca conheci pessoa tão invejosa, tão má. E o pior é que adoro a minha tia e tenho mesmo pena da filha que lhe foi calhar na rifa, porque eu sei que ela fica triste com estas coisas. As pessoas até já deixam de marcar coisas com os meus tios por causa dela, porque ninguém tem paciência para a aturar com a sua mania das grandezas, a achar que é boa demais para se dar com a família. E vocês nem têm ideia como ela fala para os pais, já por várias vezes outras pessoas tiveram que intervir em discussões deles porque ela só lhe falta bater-lhes! E tenho eu que lidar com isto...

*Ou como parecer uma pessoa horrível, mesquinha e com a mania que é muito boa (quase que tenho vergonha de dizer estas coisas sobre mim - pareço mesmo convencida- e é a primeira vez que falo de mim nestes termos, mas é a mais pura das verdades e não há que haver vergonha em assumir os nossos feitos)

9 comentários:

  1. Pena dos teus tios que de certeza que não mereciam uma miúda assim. Agora é perfeitamente compreensível que te dê gozo, acho que daria a toda a gente.

    ResponderExcluir
  2. No decorrer do texto estava a pensar que essa tua prima era só parva - desculpa lá a franqueza! - mas cheguei ao fim a achar que além de parva é mal educada. Não precisaria de duas palmadas bem assentes no rabo?

    ResponderExcluir
  3. Olha M., gostei deste texto e podes ficar descansada: pareces menos tudo menos convencida. A verdade é que estes dramas acontecem... às vezes em família, outras vezes com algumas "amigas. No meu caso, posso partilhar que vivo uma situação parecida mas com a minha tia! Pois é! Comigo, a inveja e maldade vem toda de uma tia minha (que, por ironia, é minha tia da parte materna e ainda é minha prima pelo lado paterno). Pois que ela inveja tudo o que eu faço e tenho, desde uma ida a um concerto, a umas férias passadas com os meus amigos e até os chinelos que calço!!! Enfim, muito haveria por contar mas isto para te tranquilizar e deixar aqui o meu sentimento de solidariedade... É triste, que é! Mas bem lá no fundo... até dá um certo gozo! :p ihihihihihih

    ResponderExcluir
  4. é triste quando as pessoas chegam a esses pontos, ainda por cima quando desvalorizam aquilo que têm, como a família...
    A inveja então, quando é levada para a maldade ... ela poderia sentir inveja de ti sim, mas de um jeito saudável, que a fizesse mudar de atitude e ser uma pessoa melhor.
    Felizmente que, até ver, não tenho ninguém assim na família nem no círculo de amigos .

    ResponderExcluir
  5. A inveja é tramada!!! Comigo também há situações que eu interpreto como meras demonstrações de inveja, por vezes dissimuladas com sorrisos e palmadinhas nas costas! Deve ser triste ter uma vidinha assim medíocre que te faça olhar e querer a dos outros... Enfim, como diz a minha mãe "só se inveja o que tem valor", portanto ;) deixa pra lá...

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente gente assim não vale a pena. Com primas assim, cheias de recalcamento, quem precisa de inimigos...

    ResponderExcluir
  7. A inveja tem dessas coisas... Boa sorte para a aturares, porque mesmo que a tentes evitar, como ela é tua prima por vezes não dá mesmo para escapar!

    ResponderExcluir
  8. Não me pareceste nada mesquinha nem nada que se pareça, apenas desabafaste e é para isso que um blog serve :)

    A tua prima é que, enfim... deve ser uma pessoa bastante triste e frustrada - coisa que não vai mudar enquanto não aprender que deve seguir o seu próprio caminho sem entrar em comparações e muito menos tentar imitar o comportamento e desvalorizar os feitos dos outros. Pode ser que um dia cresça e ganhe juízo. Enquanto isso não acontece é sorrir e não ligar. Há lá coisa que deixe uma pessoa invejosa com os níveis de frustração bem lá no alto do que perceber que não consegue afetar a outra pessoa? ;)

    ResponderExcluir
  9. Em primeiro lugar, não te sintas mal com este texto. A tua prima devia aprender a meter-se na vidinha dela e deixar de tentar desvalorizar! É que isso é inveja pura e crua.. Eu tenho três primos em primeiro grau. Um 15 anos mais velho, com quem não falo muitas vezes, mas que adoro. Ele nem o secundário acabou, porque não queria estudar, mas tenho a certeza que se orgulha de mim. Pessoas como a tua prima metem-me pena, só gostam delas próprias.

    ResponderExcluir