segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Para evitar questões e confrontações diretas com os meus amigos muito próximos (e que vejo todos os dias), mandei-lhes uma mensagem a dizer que estava a passar-se isto e isto na minha vida e que sabia que eles estariam sempre presentes para mim, mas que não queria falar sobre o assunto porque sabia que se me abordassem iria desmoronar. Já lá vai uma semana e sempre senti da parte deles a transmissão de força, mesmo sem nunca termos abordado o assunto. Nunca me perguntaram nada sobre o que se passa, nunca quiseram saber pormenores, nunca me perguntaram "estás bem?" diretamente, como as restantes pessoas fazem, vinte mil vezes ao dia. Nada, nem uma palavra, a não ser a demonstrar a disposição para me acompanharem, para estarem presentes para mim, para o que for preciso. Nunca me cobraram nada, nunca me questionaram, estando sempre atentos às pequenas coisas.

E eu sei que, à maneira mais ou menos discreta deles, têm feito tudo para eu me sentir melhor. Desde as conversas via facebook que começaram a ser mais constantes, aos miminhos ocasionais. Eu sei que muitas das coisas que fizeram nesta semana foram por mim, que tiveram um cuidado especial nos assuntos que falaram, que me tentaram distrair de todas as formas possíveis e imaginárias. E isso é impagável. É bem verdade que é nas alturas de maior vulnerabilidade que se vêem os amigos e os meus têm sido/feito muito mais do que o que eu estava à espera. É a única coisa positiva que posso retirar disto tudo, ao menos sei que tenho sempre alguém que se preocupe comigo e que me queira ver feliz. 

3 comentários:

  1. Ainda bem que te estão a apoiar e dar a força necessária para seguires em frente..

    kisses***

    ResponderExcluir
  2. Olha eu cá tenho vindo cá toooodos os dias para tentar descobrir o estado de alma da senhorita e já é sexta-feira e a senhora não volta, toca a voltar :P

    ResponderExcluir