terça-feira, 22 de outubro de 2013

Há-de passar, mas por agora quero poder ser infeliz em sossego

Eu sou uma pessoa feliz, muito feliz. E alegre, daquelas pessoas que andam sempre com um sorriso. Sou uma entusiasta das coisas, no geral. E as pessoas habituaram-se a ver sempre o meu lado sorridente e divertido, o lado predominante na minha vida. 
Mas a vida não é sempre cor-de-rosa e fácil. A vida às vezes é uma filha da puta. Pronto, já disse. Mas é mesmo assim que tem que ser, não há volta a dar. Ninguém é feliz o tempo todo. O problema é que as pessoas não sabem lidar com isso. Por eu ser, por norma, uma pessoa sorridente e andar sempre com um brilhozinho nos olhos, não quer dizer que não possa ter os meus dias não. Não tenho que estar sorridente o tempo todo, nem de mostrar que estou sempre bem.

O meu problema é ser demasiado transparente, para o bem e para o mal. Se estou feliz, é certo que as pessoas saberão, mas se estou em baixo é ainda mais notório e todos me caem em cima. Porque não estás bem, mas o que se passa, anima-te, tudo muito simpático e a demonstrar preocupação, o que é muito bom porque mostra que gostam de mim, mas também é extremamente inapropriado às vezes. Eu quero poder estar triste sem ser o foco de atenção de meio mundo. E quero, principalmente, poder dar-me ao luxo de me sentir miserável e ninguém ter nada a dizer sobre o assunto.

Agora estou a passar por uma fase mais complicada e é mais do que óbvio que não ando bem, que estou apagadinha, que ando a arrastar-me pelos cantos. Mas desde o início do semestre que tem sido assim, estes inquéritos constantes sobre a minha vida, se se passa alguma coisa, e porque é que não estás feliz e mimimi, quando na verdade estava (e estou) só a adaptar-me às mudanças que surgiram na minha vida, quando estava só cansada e menos motivada. Mas porque raio é que tenho que estar sempre de bem com a vida? Não tenho! às vezes quero que a vida se foda e me dê uns minutos de sossego, só porque sim. Não é por isso que estou com graves problemas na minha vida ou deprimida e o diabo a 7. 
E também já era hora das pessoas perceberem que perguntar TODOS os dias, várias vezes ao dia, se a pessoa está com problemas é bastante chato e fá-la relembrar que está, efetivamente, com problemas, tendo um efeito de bola de neve. Pronto, era só isto. Já não se pode ser infeliz em paz. 

2 comentários:

  1. Tens toda a razão. As pessoas aceitam tão bem a felicidade, mas quando se trata de tristeza ou outros sentimento menos positivo, perguntam de onde vem, como se não fosse tão natural chorar como sorrir. Não tens de estar sempre de sorriso na cara, mas as pessoas vão sempre querer saber. Quanto a isso não podes fazer muito. Um beijinho :)

    ResponderExcluir
  2. O grande problema das pessoas é não saber lidar com a dor dos outros. Para que a pessoa possa recuperar é preciso passar por certas coisas, e nem todos entendem isso.

    ResponderExcluir