quarta-feira, 4 de setembro de 2013

A minha mãe é muito fofinha e queridinha e eu não a trocava por nada, mas se há pessoa que me mexe com os nervos é ela (e o meu pai). Sempre a fazer as mesmas perguntas, sempre a resmungar por algum motivo, sempre stressada com tudo. E depois tem que ser tudo feito à sua maneira e nenhuma outra forma de fazer as coisas é tão boa como a dela. Por exemplo, só a forma como ela estende a roupa é que está bem (cada peça com as molas de cor igual, as meias são presas pela parte que encaixa mesmo nos dedos e não pela parte de cima do elástico, as cuecas são podem ser presas por uma das partes dos lados, tem que ser a que fica para "baixo"). Há mil e uma maneiras de fazer arroz, mas só a dela é que deve ser executada cá em casa. Por ela demorar vinte minutos a limpar o pó do quarto, toda a gente que demore menos do que isso é porque não fez um bom trabalho e deve estar tudo sujo. 
Além de que não é capaz de fazer um discurso no singular, dirigido inteiramente à pessoa que fez asneira. Se o meu irmão deixa algo espalhado pela casa, lá vem a conversa do "VÓS não sabeis manter nada limpo, SOIS sempre os mesmos, tenho que andar sempre a limpar o que VÓS sujais e a arrumar o que VÓS desarrumais"...

Ainda noutro dia me perguntou se queria a porta da varanda aberta ou fechada. Enquanto eu parei 2 milésimos de segundo a pensar e já estava a dizer que queria aberta, já ela estava "fechada não entra bichos, vou fechar". Para que é que me pergunta as coisas se depois acaba por ser sempre como ela quer? Santa paciência.

5 comentários:

  1. Quanto ao estender roupa a minha mãe é igualzinha! quando é para estender a roupa vira-a toda do avesso por causa do sol, quando é para estender camisolas não pode ser pelos ombros porque fica a marca das molas ...
    Essa coisa de falar no plural também acontece cá em casa. É o que faz ter duas filhas :p

    ResponderExcluir
  2. Isso deve ser mesmo coisa de mãe. A minha é exatamente igual no que toca à roupa. É impressionante. Houve um dia em que queria ajudá-la e fui estender a roupa que tinha acabado de ser lavada passado um bocado era vê-la escadas abaixo até ao estendal para "corrigir os meus graves erros". E quando se queixam que nós nunca fazemos nada (quando já desistimos de fazer porque seja como for vai estar mal)? xD

    ResponderExcluir
  3. Papás e mamãs :) Gostam de nos ver ocupados e a fazer pela vida! Mas adorei o discurso na segunda pessoa do plural da tua mãe, olha se não deu uma bela história :P Memorizei também as recomendações para estender roupa!

    ResponderExcluir
  4. pais, não os aturamos mas não vivemos sem eles :p
    essa parte de falar na 2ª pessoa do plural é mesmo à norte ;)
    beijinhos

    ResponderExcluir
  5. A minha é igual. Isso do "vós" então.. irrita-me cá de uma maneira!!!

    ResponderExcluir