domingo, 12 de maio de 2013

Sei que tenho o espírito de uma velhinha de 90 anos quando vou ao queimódromo uma única noite, saio de lá mais cedo que o resto da minha malta e isso me chega para um ano inteiro. Juro que não entendo a cena do queimódromo, o andar a correr de um lado pro outro, as pessoas a apertarem-se e acotovelarem-se a cada passo, as bebedeiras até cair. 

Pra mim, Queima das Fitas não é queimódromo, é a Sereanta, a Imposição, o Cortejo e o Sarau. É a festa de se ser estudante, de ser praxista. O orgulho por uma casa, por uma cor e pelas pessoas que nos ensinaram e que nós ensinamos a valorizar tudo isso. O terminar de um ano praxístico, cheio de momentos bons, cheio de coisas a recordar. É o culminar de um ano de trabalho, esforço, dedicação. O resto, pra mim, é dispensável. 

4 comentários:

  1. Eu concordo em parte contigo, mas as noites no queimodromo para mim significam pura diversão com os amigos e não estou a falar de bebedeiras... Eu pelo menos divirto-me muito!

    ResponderExcluir
  2. Concordo contigo, mas também concordo com quem vai ao queimódromo. Acho que há um meio termo para tudo. Não são precisas bebedeiras de cair para o lado! Mas estar ali com os amigos é divertido! :)

    ResponderExcluir
  3. Percebo o que queres dizer... Mas para mim significa apenas convívio com os amigos, diverto-me sempre! Na bebida há sempre quem exagere em todo o lado...

    ResponderExcluir