quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Ainda os gatos

Ontem trouxe a minha afilhada cá a casa porque ela queria ver o gato, que já não via há muito tempo, segundo ela. Brincou, andou pra lá a chateá-lo e de repente sai-se com esta:

Ela- Sabes madrinha, a ti M. é mesmo fina. Não queria gatinhos e levou a gata pra casa. Agora ela vai ter gatinhos na mesma! Que fina!

Lá tive que lhe explicar que não há gatinhos que apareçam miraculosamente, ou de geração espontânea, e que, tal como nos bebés é preciso um homem e uma mulher, pra haver gatinhos é igual. Recusei-me a entrar no campo da reprodução em si, porque isso já seria um bocado demais para esta conversa, mas ela lá ficou com cara de tacho, a pensar porque raio é preciso um gato e uma gata? Na minha avó a gata simplesmente aparece cheia de gatinhos na barriga! Pois, é verdade. Mas a conversa sobre a reprodução fica para a próxima oportunidade. Esta miúda faz-me perguntas muito difíceis. 

2 comentários:

  1. é... os miudos lembram-se de perguntar tudo!

    ResponderExcluir
  2. Se os bebés aparecessem por milagre bem que estávamos tramadas. ahahah

    ResponderExcluir