domingo, 15 de julho de 2012

Ninguém pode dizer que sou má madrinha

A minha afilhada andava já há mais de um mês atrás de mim pra ficar a dormir comigo. E eu, que ainda estava em exames e precisava de dormir bem e estudar de manhãzinha, andei a adiar, adiar, adiar, sempre com a desculpa dos exames. Mas ontem não tive como fugir e ela lá ficou.

Eu, que não devia estar bem no meu juízo perfeito quando disse que sim, não estava também lembrada de como é fisicamente doloroso dormir com esta criatura de pouco mais de um metro. Ela é super pequena e magra, mas ainda assim ocupa metade da minha cama de solteiro. Dorme com um braço pra cima e outro pra baixo, uma perna aqui e outra ali. Vira-se de 5 em 5 minutos e, claro, de preferência para cima de mim. Põe-me um braço na cara, outro na barriga, uma perna por cima do meu rabo. Enfim, não pára quieta. E eu, bem, eu sou igualzinha. Por isso, e dado o tamanho da cama, se ela se mexe não posso eu mexer-me. E pronto, passo a noite praticamente em claro e acordo sempre cedo e com dores terríveis nas costas.

O que uma pessoa faz para ver as nossas pessoas felizes. 

5 comentários:

  1. Ó madrinha babada,
    volta lá ao meu estaminé. Comemoram-se dois anos e o teu contributo está a ser ansiosamente aguardado!

    ResponderExcluir
  2. Passa-se a mesma coisa quando eu durmo com a minha mas eu gosto de a ver feliz :)
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. gostei tanto mas tanto da última frase!!!

    (deixavas me usá-la um dia destes?, com referência a ti, claro!!!)

    ResponderExcluir
  4. tem que ser, temos de fazer esforços para ver aqueles de quem gostamos felizes :):)

    ResponderExcluir
  5. A minha ainda não tem idade p'ra pedir isso! Mas tenho o R., que da primeira vez que ficou a dormir comigo acordou pouco depois das 7h da manhã e disse-me "Já é de dia, temos de nos levantar!" Era sábado...não se faz!:p

    ResponderExcluir