sexta-feira, 29 de junho de 2012

a incoerência destes pais assusta-me

Os pais às vezes são muito totós. O que é que leva um pai a não deixar que a filha saia de casa com o namorado sozinha para fazer um daqueles programinhas inocentes (que incluem ir ao cinema, passear por um parque e uns inocentes beijinhos na boca com muito decoro, em público), mas a achar que, mesmo na sua ausência, a filha fica melhor em casa com o namorado, trancada no quarto?

Eu vou falar por mim, que sempre namorei em casa e de porta bem fechadinha. Os meus pais nunca se meteram na minha vida, nem nesse aspecto nem noutro qualquer. Quando comecei a namorar, obviamente que a minha mãe de vez em quando lá vinha com conversas super embaraçosas e essas coisas que nenhum adolescente quer realmente discutir com as mamãs. O meu pai devia espumar pela boca sempre que sabia que estava sozinha no quarto com um mancebo daquele tamanho, certamente pensando que o rapaz tinha tudo menos intenção de me fazer cafunés na cabeça e beijar-me a mão. Mas nunca na vida me proibiram de fazer o que quer que fosse e muito menos tiveram a ideia de que em casa estaria protegida de todas as investidas do rapaz e que ao sair é que corria o risco de estar a ser levada para maus caminhos. Pelo contrário, se tivesse que acontecer alguma coisa seria mais facilmente na nossa casinha, com as portinhas fechadas e eles bem longe. Não era na rua que havia de acontecer alguma coisa.

Não quero com isto dizer que quem namora em casa só o faz pra andarem aí enrolados, que só se fecha a porta pra podermos andar todos enrolados. Ou que um casal não se pode trancar no quarto simplesmente pra conversar, pra ouvir música, pra estar à vontade. Aliás, a maior parte das vezes eu faço isso mesmo. Porque tenho o hábito de ter a porta fechada pra tudo, não ia ser agora que ia mudar. Mas daí a achar que num quartinho fechado as filhinhas estão protegidas de todo o mal e que só na rua é que se propiciam as coisas... que ridículo.  É verdade que as filhinhas podem estar só mesmo a conversar e a namorar inocentemente por detrás da porta, mas acham mesmo que é só isso que se passa quando não estão em casa? 

Há pais que, ou são parvos, ou nunca namoraram quando eram novos. 

8 comentários:

  1. Concordo contigo. Aliás, tanto na rua como em casa se se quiser fazer alguma coisa faz-se e pronto. Os meus pais em relação à minha irmã, que é de nós a que tem uma relação cá em casa, são razoáveis nesse tipo de coisas. Claro que ao início lhes metia um bocado de confusão por o namorado dela vir cá a casa sem eles estarem [nós vivemos as duas sozinhas e os meus pais só vêm ao fim-de-semana], mas eles ficavam assim não por não confiarem neles, mas por causa das outras pessoas [o que eu acho ridículo, mas como estamos a viver numa aldeia é normal as pessoas perderem mais tempo com a vida das outras pessoas]. Comigo ainda não posso manifestar uma opinião, mas espero bem que reajam da mesma maneira... tirando a parte de se preocuparem tanto com o que as outras pessoas pensam, claro :P

    ResponderExcluir
  2. concordo ctg, alias e mais tentador que aconteca alguma coisa em casa do que fora! ainda me lembro qdo efectivamente era miuda e inocente a minha avo passava'se sempre que amigos meus iam la a casa, ja pros meus pais eram na boa. qdo comecei a namorar era o belo do programa do cinema e uns beijinhos as escuras :)

    ResponderExcluir
  3. também não compreendo. eu quando comecei a namorar também sempre tive à vontade no meu quarto, de porta fechada ou aberta, tanto faz. somos responsáveis o suficiente para saber o que podemos fazer e quando. quando comecei a namorar os meus pais não gostavam que ficasse sozinha em casa com o R., e eu até compreendo, mas não quer dizer que isso acontece-se ;p acho que tem a ver com uma questão de mentalidades...

    ResponderExcluir
  4. Felizmente os meus pais também nunca me privaram de ter a minha privacidade. E depois, as coisas vão evoluindo e a confiança surge. O meu namorado já faz parte da família. :)

    ResponderExcluir
  5. Concordo, e também acho que é uma questão de mentalidades como a Hermione disse no comentário anterior. Os nossos pais também já namoraram e deviam compreender. Mas também concordo um bocadinho com a Yasmin, muitos pais agem assim por se preocuparem mais com o que os outros vão pensar. Felizmente, tenho sorte em ter os país que tenho :)

    ResponderExcluir
  6. Nesse aspecto, acho que os país parecem ter a ideia que os controla mais mas não... estão a ser mesmo ignorantes.

    ResponderExcluir
  7. Concordo totalmente com o que escreveste. Não é por proibirem que não vai acontecer. Ao proibirem certo tipo de coisas arriscam-se a que sejam feitas nas suas costas.

    ResponderExcluir