terça-feira, 29 de novembro de 2011

Não sei o que se passa pela cabeça das pessoas nem sou ninguém para julgar a vida dos outros, mas não consigo deixar de ficar surpreendida quando leio, vejo ou sei de certas coisas. Como é que alguém consegue ter 2 relações ao mesmo tempo? Como é que é possível estar com o namorado e pensar noutro? Como conseguem viver uma vida dupla? Aliás, nem me passa pela cabeça como é que alguém consegue manter uma relação quando está a pensar noutra pessoa, quando se sente atraída por outro alguém. 
Eu acho isto impensável. Seria incapaz de manter uma relação sabendo que já não podia tirar nada dali, que já não era feliz nem fazia a outra pessoa feliz e, principalmente, sabendo que gostava de outro. Não é justo para comigo nem para com a pessoa com quem eu estou.
Como é possível ter namorado mas ligar ao outro para ir ter connosco? Ter namorado e ir chorar no colo de outro? Ligar ao outro a meio da noite para ouvir a sua voz? Acho isto de uma falta de respeito tremenda. Falta de amor próprio também. Andar atrás de alguém quando se está numa relação... 
Mas pronto, são formas de vida diferentes. Eu não consigo conceber uma vida assim, mas há pessoas que conseguem e são felizes com isso. 

12 comentários:

  1. Cada um sabe o que faz e eu podia dizer que não critico mas a verdade é que critico. Mesmo não sendo nada comigo, acho do pior que há. Combina algumas das piores coisas do mundo: mentira, traição e afins... Eu neste aspecto estou como tu: simplesmente não entendo...

    Beijinhos (:

    ResponderExcluir
  2. eu também não compreendo. é de uma deslealdade e desrespeito tremendos. o amor pode acabar, mas isso não quer dizer que se prolongue uma vida de mentiras...

    ResponderExcluir
  3. Há coisas que simplesmente não se entendem...

    ResponderExcluir
  4. Não dá mesmo para entender. Quando o amor acaba, não sei porque se continua com a relação e muito menos percebo porque se arranja outra pessoa e se continua com a primeira! God!

    ResponderExcluir
  5. Conheci uma pessoa que veio para lisboa estudar, mas ia à terra todos os fins de semana. ora lá, tinha duas namoradas. e volta e meia enganava-se, chamava o nome duma à outra e ainda dava a volta à situação e a rapariga é que ouvia mal e sei lá! No fundo sempre achei que não gostava de nenhuma. só estava interessado em sexo. até porque tentou arranjar uma em lisboa.

    se eu entendo? não! mas enfim, parece que há pessoas que são felizes assim, como tu dizes!

    Beijinhos **

    http://sintoniaporquenao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Não critico de forma alguma essas pessoas. No entanto, concordo com cada linha do teu texto.

    ResponderExcluir
  7. Concordo plenamente com o que tu dizes. Cada frase. E infelizmente já me vi perto de uma situação assim, e foi um acabar imediato. Não percebo, nem quero perceber.

    ResponderExcluir
  8. Mais tarde ou mais cedo fazem-lhes o mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Para mim é simples, essas pessoas não gostam nem de um nem de outro a sério.

    ResponderExcluir
  10. pois ... eu tb considerava isso impensável, mas depois aconteceu mesmo ao meu lado e eu percebi o quanto andamos muito enganadas :/

    ResponderExcluir
  11. Tu não julgas, já eu julgo. Já fui traída, sei a marca que fica, sei o trauma que é. Acho de uma falta de carácter tremenda, aliás, acho uma falta de tudo. É a derradeira fraqueza de espírito. Não compreendo o porquê, nunca vou compreender. Orgulho-me disso.

    ResponderExcluir