sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Karma is only a bitch if you are a bitch...


Constatei no outro dia que sou uma gaja má, daquelas que se ri da desgraça alheia. 
Eu sou mulher pá, e como mulher que sou, não resisto a comentar o aspecto das outras. E há poucas coisas que me dão tanto gozo como ver uma daquelas gajas que tinham a mania que eram boas e gozavam com toda a gente por tudo e por nada, alvo de desejo de todos os meninos imberbes e estúpidos, a perder todo o seu "esplendor". Sério. Ir na rua e dar de caras com um exemplar desses (que entretanto passou pela puberdade e todas essas mudanças decorrentes da adolescência) com uns 10 kg a mais, cabelo ceboso e ar de quem já fez muita m*rd@ na vida, apesar da tenra idade, é coisa para me deixar muito feliz por nunca ter sido assim e ter crescido como deve ser. No fundo são miúdas que ainda nem atingiram a maioridade e já contam com um aspecto de mulheres de 40, com uma bagagem enorme atrás de si, algumas até com filhos para cuidar (?). Não consigo evitar não ficar um bocadinho contente, apesar de não lhes desejar nada de mal. Às vezes as pessoas precisam de lições de vida, de sofrer, de bater com a cabeça na parede, de dar dois passos para a frente e seis para trás para aprender. 
Gostava obviamente que as coisas fossem diferentes e tenho pena que seja assim que muitas pessoas acabam, mas no fundo merecem-no. Todas as acções têm um retorno, elas só têm o que merecem. Porque gozavam com todos, porque se riam de quem não usava marcas caras ou tinha borbulhas, porque olhavam para todos com um ar de superioridade quando eram miúdas iguais a tantas outras mas tinham a sorte de serem mais bonitas e de terem mais dinheiro. Mas isso não quer dizer que fossem intocáveis e elas esqueceram-se disso. E quem diz elas, diz eles, que também há muitos rapazes a mesma situação. 

8 comentários:

  1. Pois, eu também me sinto assim. Quando vejo essas ex-melhores da escola, todas feias e acabadas e eu que era um criança quando tinha que ser uma criança, fico feliz por não ter querido crescer depressa demais.

    ResponderExcluir
  2. Hehe, és mesmo mázinha :)
    Agora a sério, quando vemos certas pessoas, vemos o quanto acertadas foram as nossas decisões!

    ResponderExcluir
  3. Hehe! A mim também me dá um gostinho especial!

    ResponderExcluir
  4. eu acho "particular" piada a isso quando essas pessoas eram as que me faziam a cabeça em água na escola a gozar comigo por ser menina na idade de o ser e por ser sossegada e aplicada.

    sim, somos um bocadinho mázinhas, mas dão-nos motivos!

    ResponderExcluir
  5. Pois é, às vezes as coisas acabam por correr mal, e quando é alguém que me atraplha confesso que também não fico muito triste quando me deparo com esses cenários. Por outro lado, às vezes acho chato porque sei que esses percursos alternativos às vezes estão enraízados em histórias de vida com contornos bão muito fáceis.

    ResponderExcluir
  6. lol ...
    normalmente tenho pena que o karma 'castigue' os outros, mas há casos em que o (meu) diabinho do lado esquerdo se ri também :/ ...
    **

    ResponderExcluir
  7. Ok confesso, eu às vezes também sou assim :b

    ResponderExcluir
  8. Acho que faz sentido o que dizes em cima, pois hoje em dia as pessoas esquecem-se que são apenas e só pessoas e como todas as outras tem telhados de vidro, quem não os tem que atire a primeira pedra :x

    ResponderExcluir